Rádio Cenecista de Picuí

quinta-feira, 12 de julho de 2018

MP investiga sanidade de prefeito na PB por suspeita de doença de Alzheimer

Representação protocolada por moradora diz que gestão do município está sendo mediada por parentes do prefeito
Foto: Reprodução/TSE
Cosme Gonçalves de Farias é prefeito da cidade de São João do Cariri, na Paraíba
O promotor do Ministério Público da Paraíba (MPPB), José Bezerra Diniz, abriu um procedimento para apurar condição de sanidade mental do prefeito da cidade São João do Cariri, Cosme Gonçalves de Farias (DEM), 62 anos, por suspeita de que ele esteja com doença de Alzheimer. O procedimento foi aberto depois de uma representação protocolada por uma moradora da cidade.


Segundo a representação, o prefeito estaria em um quadro da doença, no qual estaria sem condições mentais de gerir o município, e que administração estaria sendo mediada pela esposa e filhos. Também há relato de casos em que o prefeito já teria se perdido ao sair de casa sozinho e que não reconhece mais as pessoas que convivem com ele há décadas no município.

A assessoria de imprensa do prefeito informou que não vai se pronunciar até que o procedimento pedido pelo MPPB seja concluído.

A representação também destaca que a gestão dos recursos públicos do município estão sendo administradas por pessoas não eleitas, já que o prefeito estaria nessa situação. O prefeito foi ouvido pelo promotor nesta quinta-feira (12), que recomendou que uma junta médica avalie as condições de saúde de Cosme, para atestar se ele sofre ou não da doença neuro-degenerativa.

“Eu recebei a representação e iniciei a fase de instrução da Notícia de Fato, ouvindo o prefeito e determinando que ele seja examinado por uma junta médica no prazo de vinte dias”, explicou o promotor.

José Bezerra Diniz não revelou detalhes da conversa que teve com o prefeito, mas comentou que o prefeito perdeu recentemente a mãe e estaria abalado emocionalmente. O presidente da Câmara Municipal, Hélio Coutinho de Moraes, também foi ouvido pelo promotor.

Ainda no documento, a moradora diz que a população está prejudicada, pois “o povo não sabe a quem procurar e serviços essenciais têm deixado de ser prestados em todos os setores do governo, especialmente na saúde", a exemplo do atendimento do filho dela, descumprindo inclusive uma sentença judicial.

Ela acrescenta, na representação, que procurou o prefeito Cosme, mas ele não a conhece, “mesmo sendo vizinhos há quase 30 anos”, afirma a mulher.

G1 PB

Nenhum comentário:

Postar um comentário