Rádio Cenecista de Picuí

quinta-feira, 5 de julho de 2018

Homem que desapareceu em Soledade é encontrado morto

Devido ao sofrimento de perdas de parentes como a mãe, ele pode ter cometido suicídio, segundo o tio de João, Flávio Farias
Foto: Reprodução
Homem tinha 28 anos
Uma história de dor e perdas foi encerrada na Paraíba. O corpo de João Alberto Gomes de Farias, de 28 anos, foi encontrado nesta quinta-feira (5), no açude da cidade de Soledade, no Cariri. 


Ele saiu de casa por volta de meio-dia da quarta-feira (4). Devido ao sofrimento de perdas de parentes como a mãe, ele pode ter cometido suicídio, segundo o tio de João, Flávio Farias.

A família de João o procurava e postou nas redes sociais o desaparecimento e o pedido de ajuda para encontrá-lo. “Nos últimos 20 anos, ele perdeu quase toda a família. E isso o estava deixando cada vez mais triste e depressivo. O pai dele morreu em 2000, num acidente de carro. Já em 2005, a mãe dele foi assassinada junto com um tio, na frente dele, num assalto. Alguns anos depois, ele perdeu os avós. E no ano passado, ele perdeu a irmã de 33 anos de idade, que teve a doença púrpura, e morreu em uma semana”, relatou.

Flávio acredita que todas essas mortes foram demais para João, principalmente o assassinato da mãe, que foi o pior trauma, pelo sentimento de impotência que toda a família sentiu. “Os acusados eram dois menores de idade. Foram soltos em poucos dias. Então, ele também se sentiu, como toda a família, incapaz até de fazer justiça”, falou. Por causa da pressão psicológica, o rapaz sofria do transtorno de depressão.

João tinha duas tatuagens no peito, uma do lado direito, com o nome Márcia, em homenagem à sua irmã falecida há cerca de 1 ano. A outra tatoo, do lado direito, estão escritas as palavras “mãe e pai”, que também já morreram, e um desenho de um diamante logo abaixo.

Valdívia Costa/PB Debate

Nenhum comentário:

Postar um comentário