Rádio Cenecista de Picuí

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Atriz de 'Bebê a Bordo' assistirá à novela pela 1ª vez: 'Finalmente'

Beatriz gravou a novela entre os 10 meses e 1 ano e meio de idade
Foto: Reprodução
Beatriz viveu a filha de Ana,
a pequena Heleninha
Três décadas depois de ir ao ar, a novela "Bebê a bordo", de Carlos Lombardi, será reexibida no Canal Viva, a partir de janeiro. A notícia foi muito comemorada por uma pessoa em especial: a atriz Beatriz Bertu, que interpretou a pequena Heleninha - o bebê protagonista da trama – e poderá, pela primeira vez, acompanhar aquele que, mesmo involuntariamente, foi o seu primeiro trabalho na carreira. Comente no final da matéria.


- Soube pelo Instagram da atriz Isabela Garcia e fiquei superfeliz. Finalmente vou conseguir assistir. Acho que vai ser uma experiência muito interessante. Vi pouquíssimas cenas avulsas e tenho muita curiosidade. Vai ser meu programa favorito da madrugada – conta. 

Beatriz gravou a novela entre os 10 meses e 1 ano e meio de idade. Apesar disso, diz que ainda é reconhecida nas ruas e se tornou uma espécie de parâmetro para as pessoas perceberem que envelheceram. 

- Muita gente olha para mim e diz que me conhece de algum lugar. Outras me reconhecem de cara, o que me deixa espantada. Fico impressionada de ver como a Heleninha marcou as pessoas. A reação dos atores da novela sempre que me encontram é algo muito bacana também - diz a atriz. 

Aos 30 anos, ela é formada em teatro pela UniRio e pela Casa das Artes de Laranjeiras (CAL), e já fez 15 peças profissionalmente. Atualmente, está no elenco de "Tubarões", espetáculo com direção de Michel Blois, que ficou em cartaz no Sesc Copacabana em agosto e setembro, e deve retornar para a cidade em novembro. 

- Minha base é no teatro, mas, amo o meu ofício, e tenho vontade de trabalhar em todos os veículos, seja TV, cinema e agora a internet - destaca.

Beatriz não tem filhos, mas diz que, se tivesse, pensaria duas vezes antes de deixá-los passar por uma experiência  como a sua, ao participar de uma novela tão jovem:

- Provavelmente não deixaria, mas, hoje em dia as coisas são bem diferentes. Existe uma legislação específica e o trabalho artístico infantil é regulamentado, ou seja, bem menos puxado. Na minha época, nem os estúdios Globo existiam ainda, então era um ritmo frenético de gravar cerca de 30 cenas por dia espalhadas pelo Rio de Janeiro. Penso que isso depende muito da vontade da criança também - conclui.

O Globo