Rádio Cenecista de Picuí

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Órgão da Fifa propõe jogo de futebol com 60 minutos; confira outras propostas

Entidade responsável pelas regras no esporte sugere pacote de mudanças radicais

Em tempos de uso do árbitro de vídeo no futebol, a International Football Association Board (IFAB) lançou uma série de sugestões para alterar e incluir outras regras no regulamento. O órgão independente é formado pelas quatro associações do esporte no Reino Unido e pela Fifa. Com as mudanças, a ideia é tornar o jogo mais atraente e dinâmico.


A principal proposta é acabar com a famosa ‘cera’, estabelecendo que as partidas terão obrigatoriamente 60 minutos de ação. O relógio seria parado cada vez que a bola saísse de campo, garantindo que os jogos estariam adequados ao tempo de bola rolando considerado ideal pela Fifa. 

Outras novidades, como dar a chance ao jogador de cobrar uma falta ou escanteio para si mesmo e só permitir o encerramento do primeiro ou segundo tempo com a bola fora de jogo, ainda devem ser discutidas. Pênaltis sem rebotes também entram no debate. Nesse caso, uma cobrança defendida ou na trave configuraria automaticamente um tiro de meta.

Algumas sugestões já estão sendo testadas. Permitir que somente o capitão do time possa conversar com o árbitro e alterar as disputas de pênalti para o formato ‘ABBA’ são inovações em teste na Copa das Confederações e em competições de base, respectivamente. 

A IFAB se define como a guardiã independente das regras do futebol e é a única entidade autorizada a decidir sobre mudanças no regulamento. O objetivo desse pacote de mudanças é melhorar o comportamento e o respeito, aumentar o tempo de bola em jogo e desenvolver a atratividade do esporte.

Confira algumas outras propostas de alterações no regulamento:

- Cartões amarelos e vermelhos para membros da comissão técnica;

- Relógios visíveis nos estádios, para todos acompanharem a contagem de tempo feita pelo árbitro;

- Possibilidade de validar um gol caso o mesmo seja impedido por um toque de mão em cima da linha;

- Mais rigidez com o tempo que o goleiro segura a bola - 6 segundos.


As alterações passarão por debate em reuniões antes de serem colocadas em prática ou testadas.

R7

Para postar um comentário:

“É livre a manifestação de opiniões, sendo vedado o anonimato”