Rádio Cenecista de Picuí

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Educação, sabedoria e amizade: conheça a biografia do professor Valdí

VALDÍ MEDEIROS DE OLIVEIRA

“Professor é profissão. Educador é missão”. Cunhada pelo professor Salomão Becker, a frase parece se ajustar à personalidade de Valdí.

Valdí Medeiros de Oliveira
Nordestino, humilde, filho de Maria Luzinete de Medeiros Oliveira e José Eduardo Luiz de Oliveira, na época agricultores, Valdí Medeiros de Oliveira é o segundo de uma família de seis irmãos, nascido em uma casinha de taipa localizada na Fazenda Gangorra, município de Barra de Santa Rosa - PB, às duas horas da madrugada do dia 06 de março de 1970, mas registrado como natural de São João do Cariri – PB.

Até os cinco anos de idade, já havia morado no Sítio Amparo e na Fazenda Serrote Verde, do mesmo município, estando de volta à Gangorra, desta vez na sede da Fazenda, ocasião em que, já iniciado nas primeiras letras pela mãe, principiou seus estudos oficialmente, numa escola multi-seriada da zona rural.

Aos oito anos de idade, já havia passado pelas cidades de Alagoa Nova - PB e de São João do Cariri - PB, e chega a Campina Grande - PB, onde concluiu os antigos primeiro grau (1985) e segundo grau (1997), na rede pública estadual de ensino, trabalhando enquanto estudava, desde os 15 anos de idade, ora no setor da construção civil, ora no setor industrial.

Ingressou na faculdade de Letras da Universidade Estadual da Paraíba - UEPB no ano de 1998, tendo sido aluno destaque em algumas cadeiras, vindo a concluir o curso no ano de 2002, desde quando atua em sala de aula como professor de disciplina de Língua Portuguesa, inicialmente na cidade de Campina Grande - PB, e a partir do ano de 2004, na cidade de Nova Palmeira - PB, onde conheceu Genilda Matildes Sousa Dantas, com quem se casou (aos vinte e seis e vinte e oito dias do mês de janeiro, no civil e no religioso, respectivamente) e constituiu família, e onde reside até hoje, com a esposa e a filha Tainá Dantas de Medeiros.

Em Nova Palmeira, prestou concurso público para o cargo de professor de Língua Portuguesa (que já exercia), no ano de 2007 (dois mil e sete), sendo aprovado e contratado para o quadro docente efetivo da Escola Municipal Iran Coelho Dantas. No ano de 2011 (dois mil e onze), submeteu-se a novo concurso, na esfera estadual, sendo também aprovado e contratado para o quadro de magistério do Estado da Paraíba, atuando na mesma função na Escola Estadual de Ensino Médio Antônio Coelho Dantas, também na cidade de Nova Palmeira.

Valdí em dia de lazer com a família (Foto: Arquivo Familiar)
Há 13 anos residindo em solo nova-palmeirense, o professor Valdí, como é carinhosamente conhecido, desfruta de uma alta popularidade. Com voz mansa, cadenciada e com uma educação que ‘enche os olhos’ de quem o escuta, o magistrado é especialmente admirado pela extensa rede de amigos.

Conhecedor não apenas do português, mas também em outras diversas áreas, o paraibano emite opiniões relevantes e oniscientes quando é questionado, ou simplesmente, quando participa de bate-papos informais.

Amante da fotografia, Valdí costuma manter como hobby a arte de produzir belas imagens, retratando animais e paisagens pitorescas das regiões por onde passa.

No seu currículo poético, consta a publicação de respeitadas obras (ver abaixo), além de inúmeras outras produções ainda não publicadas.

Obras:
  • HISTÓRIA DO GUARÁ PELO AVESSO (Literatura de Cordel): uma narrativa em versos de redondilha maior, com 63 estrofes em sextilha e uma em acróstico;
  • TODA POLÍTICA É ASSIM (Literatura de Cordel): uma sátira produzida aproximadamente duas horas, durante a visita de uma “comitiva” de candidatos à cidade de Nova Palmeira – PB, que ironiza a forma como se dão as campanhas, durante os meses que antecedem o pleito;
  • DORES EM GUERRA: poema lírico, em forma de soneto tradicional, publicado na parte interna da segunda capa do folheto de Literatura de Cordel “História do Guará pelo avesso”.
Possui ainda dois trabalhos poéticos premiados:
  • RESGATE DO MENINO: poema lírico classificado em segundo lugar no concurso de poesia da X SEMANA DE LETRAS (1999), evento realizado anualmente pela Universidade Estadual da Paraíba - UEPB.
  • O POETA: poema lírico classificado em primeiro lugar no concurso de poesia da XI SEMANA DE LETRAS (2000), evento realizado anualmente pela Universidade Estadual da Paraíba - UEPB;
Fonte: Arquivo/Valdí Medeiros de Oliveiras com Blog NP

Para postar um comentário:

“É livre a manifestação de opiniões, sendo vedado o anonimato”

Nenhum comentário:

Postar um comentário