Rádio Cenecista de Picuí

domingo, 21 de maio de 2017

Alta do dólar após crise política afeta desde o pão a viagens; veja como economizar

Momento de instabilidade política afeta diretamente a economia e gera impactos para todos os brasileiros

Com a divulgação da delação dos executivos da JBS que apontam o envolvimento do presidente Michel Temer em um esquema milionário de pagamento de propinas, as ações do governo caíram e o dólar passou a operar em alta. A cotação mais recente aponta a moeda norte-americana com o valor de R$ 3,27.


De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), Reinaldo Domingos, o momento de instabilidade política afeta diretamente a economia e gera impactos para todos os brasileiros, sejam investidores, empresários ou consumidores comuns.

Segundo o especialista, um dos principais impactos é o aumento dos preços em geral. Domingos explica que o aumento do dólar impacta na inflação, já que matérias-primas de produtos bastante consumidos no Brasil, como trigo, passam a custar mais caro.

“Logo, o encarecimento de produtos e serviços diminui o poder de compra do brasileiro. Não se trata de um momento para pânico, mas é preciso considerar que a inflação e o desemprego também batem a porta. O melhor a fazer é reunir a família e rever as despesas diárias e mensais, para viver em seu real padrão de vida. Infelizmente, muitas gastam mais do que ganham e não têm estrutura financeira para suportar variações econômicas”, orienta.

Para quem está pensando em viajar para o exterior, o momento é de cautela e de conscientização. Afinal, o aumento nos preços se dá já das despesas básicas, como com passagens, hospedagens e uso de cartões de créditos internacionais.

“Caso a pessoa ou família não tenha feito um planejamento prévio, orçando todos os custos e poupando mês a mês para realizar este sonho com tranquilidade financeira, o ideal é deixar a viagem para um outro momento”, aconselha o especialista.

Reinaldo Domingos pontua ainda que a alta do dólar pode ser positiva para empresas e indústrias nacionais, já que com a alta do dólar a competitividade das vendas é estimulada. “Para as empresas importadoras, que compram seus produtos do exterior em dólar, há um encarecimento em todo o processo, o que, irremediavelmente, acaba sendo repassado para o consumidor final”, lembra.

Ainda conforme o especialista em finanças, para quem tem investimentos atrelados ao dólar ou compra a moeda norte-americana propriamente dita, a alta possibilita um aumento de ganhos. O mesmo vale para quem tem ações em grandes exportadoras.

“Contudo, a instabilidade do governo Donald Trump (EUA) é um importante fator a ser considerado. Antes de tomar qualquer decisão, é válido buscar a assessoria de um especialista, evitando agir por impulso”, pondera Reinaldo Domingos. 

Portal Correio

Para postar um comentário:

“É livre a manifestação de opiniões, sendo vedado o anonimato”