Rádio Cenecista de Picuí

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Servidores se unem a professores e também entram em greve na UEPB

Secretário de Planejamento do Estado, Fábio Maia, informou, em nota, que lamenta a iniciativa da greve dos servidores, assim como a paralisação dos professores

Depois dos professores, agora foi a vez dos servidores da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) decretarem greve. A paralisação começou nessa terça-feira (25). O Secretário de Planejamento do Estado, Fábio Maia, informou, em nota, que lamenta a iniciativa da greve dos servidores, assim como a paralisação dos professores. De acordo com ele, o governo do Estado está aberto ao diálogo com os grevistas, mas não tratará do aumento do repasse do duodécimo porque é um momento de crise, e, segundo ele, "a UEPB precisa entender que a atual realidade é de adequação".


“A greve teve início pois houve inúmeras tentativas de abertura de diálogo junto ao governo. Nós protocolamos, só neste ano, dois pedidos de audiência, fora os quatro do ano passado, e até agora o governo não abriu essa discussão para resolver o orçamento da Universidade em 2017. Houve um corte de R$ 27 milhões, que inviabiliza qualquer discussão, tanto administrativa quanto de funcionamento da UEPB”, disse Fernando Borges, presidente da Sindicato dos Trabalhadores em Ensino Superior na Paraíba (Sintes-PB)

Os docentes estão parados há quase duas semanas e dizem que tentam um canal de diálogo com o governo do Estado para rever o orçamento da Universidade e as perdas salariais. De acordo com os grevistas, alunos em conclusão de curso e os serviços oferecidos à população, através das clínicas-escola, não estão em prejuízo. “Está reduzido, mas está sendo mantido”, disse a professora Lourdes Sarmento.

Portal Correio

Para postar um comentário:

“É livre a manifestação de opiniões, sendo vedado o anonimato”