Rádio Cenecista de Picuí

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Em Cuité 3.000 manifestantes dizem não à reforma da previdência e vaiam os deputados paraibanos que apoiam temer

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais do Curimataú e Seridó (SINPUC) foi um dos organizadores do evento que reuniu 3.000 pessoas para uma caminhada pelas ruas da cidade serrana
Foto: Reprodução/SINPUC
Manifestação em Cuité
Sindicatos do campo e da cidade, instituições de ensino, movimento estudantil, lideranças políticas, trabalhadores públicos e privados aderiram à greve nacional e se reuniram em Cuité, na manhã desta sexta-feira (28), para protestar contra as reformas do governo Temer.


O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais do Curimataú e Seridó (SINPUC) foi um dos organizadores do evento que reuniu 3.000 pessoas para uma caminhada pelas ruas da cidade serrana.

A caminhada teve início em frente à quadra poliesportiva e seguiu até a agência do INSS, que se encontrava fechada porque os servidores também aderiram ao movimento desta sexta.

Com o acompanhamento da Polícia Militar, os manifestantes movimentaram o Centro da cidade e chamou a atenção dos moradores.

Congresso Nacional

Professores, agricultores, servidores municipais, estaduais e federais de diversos municípios do Curimataú viajaram até Cuité para mandar um recado à bancada paraibana que votou a favor das reformas de Temer.

Um a um os nomes dos parlamentares paraibanos foram chamados nos carros de som e vaiados pelos manifestantes que compareceram ao evento.

“Temos que botar pressão nos deputados. Em nome do Curimataú, em nome do Seridó, todas as categorias, sindicatos rurais e urbanos, os movimentos sociais estavam gritando contra os deputados”, disse Janiel Dantas, secretário de Comunicação do SINPUC.

O vereador Jean Barros, de Picuí, destacou a importância de os eleitores saberem os nomes dos deputados e senadores governistas apoiados por lideranças locais na região. Ele fez um apelo para que o povo rejeite seus nomes e de seus apoiadores nas próximas eleições. Jean disse que aprovou, na Câmara, uma moção de repúdio em desfavor de todos os que votaram contra os trabalhadores e encaminhou o documento para os gabinetes de cada parlamentar.

Evento reuniu cerca de 3.000 pessoas
(Foto: Reprodução/SINPUC)
Articuladores e apoiadores

Além do SINPUC, a Central Única dos Trabalhadores na Paraíba (CUT-PB), o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Paraíba (SINTEP), o Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR) de Cuité e o STR de Barra de Santa Rosa articularam a mobilização. 

A Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (CONFETAM), União da Juventude Socialista (UJS), União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), Centro de Educação e Organização Popular (CEOP), Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Cubati (SINTMUC), Sindicato dos Professores de Cuité, Universidade Federal de Campina Grande (UFCG – Campus Cuité), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB – Campus Picuí), Escola Estadual Cidadã Integral Técnica Jornalista José Itamar da Rocha Cândido, Escola estadual de Ensino Médio Orlando Venâncio dos santos, entre outras instituições e sindicatos, apoiaram a manifestação.

“É importante dizer que as gestões municipais da região liberaram os servidores e não houve retaliações e nem objeções à participação”, lembrou Sebastião Santos, presidente do SINPUC.

Ele também disse que a divulgação prévia realizada pelos meios de comunicação do Curimataú e Seridó, como as rádios comerciais e comunitárias foi importante para o sucesso da manifestação. Sebastião Santos destacou o apoio das rádios Boa Esperança FM de Pedra Lavrada, Rural FM de Baraúna, Cenecista AM de Picuí e Cidade Cuité FM.

SINPUC

Para postar um comentário:

“É livre a manifestação de opiniões, sendo vedado o anonimato”