Rádio Cenecista de Picuí

sábado, 18 de março de 2017

'Agora tenho 15 irmãos', diz jovem de Caicó que reencontrou família pelo Facebook

Alonso Bruno mora em Caicó, na região Seridó do Rio Grande do Norte. Ele nunca teve contato a família do pai, até encontrá-los pela rede social
Foto: Arquivo pessoal 
Bruno e sua família potiguar, que agora ficará ainda maior
A família o descreve como um filho exemplar. Estudioso, carinhoso e competente, Alonso Bruno sempre teve um sonho: encontrar seu pai. O jovem de 17 anos sempre disse que quando fosse maior de idade iria procurar a família. Com um nome, uma localização e esperança, ele fez uma postagem no Facebook contando essa história. E deu certo. “Eu sempre tive esperança, mas não achei que seria tão fácil. Agora eu tenho 15 irmãos, um pai e vários tios. Sou só felicidade”, contou Bruno, que mora na cidade de Caicó, no Seridó potiguar, e espera o dia de encontrar pessoalmente os familiares.


Os desencontros da família começaram há 17 anos, quando a mãe de Bruno, Ana Maria, foi morar em São Paulo. “Ela pegou uma carona e foi parar em São Paulo. Lá, foi acolhida pelo pai de Bruno, ela estava sem casa e dormia em uma rodoviária. Eles tiveram um namoro e nasceu o Bruno, mas os dois não deram certo”, conta Franci Medeiros, tia de Bruno. A mãe do jovem então voltou para o Rio Grande do Norte e Bruno foi criado pelos avós, dona Maria Olimpia, uma lavadeira de roupas aposentada e seu Francisco Ananias, que trabalha em uma escola.

Alonso Bruno usou a rede social para
localizar a família do pai em São Paulo
(Foto: Reprodução)
Franci conta que Bruno nunca deu trabalho aos avós. “Ele gosta de estudar, ler, é muito calmo e carinhoso. Um presente. Sempre tratou os avós como pais e não passa pela cabeça dele ir embora”, disse a tia do jovem.

“Quando eu tinha 12 anos levei o maior baque da minha vida. Minha mãe teve câncer de mama e não venceu a luta. Eu fiquei então só com meus avós, mas sempre lembrava do meu pai”, se emociona Bruno. Um dia o rapaz resolveu contar sua história de vida em um grupo de moradores da cidade de Araras, em São Paulo. Segundo Bruno, várias pessoas começaram a se manifestar na postagem. “Eu tinha o nome do meu pai, sabia a cidade onde ele morava e nunca perdi as esperanças. Fui lá e postei”, conta o jovem.

O rapaz, que antes brincava, brigava e convivia com quatro irmãos, agora incluiu mais onze nomes na lista. Os novos parentes são de Araras, que também é a cidade natal de Bruno. Ele conta que ainda está decorando o nome de todo mundo, mas a família nova foi muito receptiva. Por meios eletrônicos a família tenta recuperar o tempo perdido, enquanto a hora do encontro não chega. “Já temos até um grupo no WhatsApp”, conta, entusiasmado.
 
Bruno e sua mãe, na última foto que tiraram juntos (Foto: Arquivo pessoal)
Do tempo em que ficaram afastados, não resta nenhuma mágoa. Bruno afirma que o melhor é focar no futuro. “Se deus quiser vai dar tudo certo para eu encontrar minha família nas férias”, comemora. Até o momento, Bruno ainda não teve contato direto com o pai, mas com irmãos fala constantemente. Quando questionados sobre a possibilidade de fazer um teste de paternidade, Bruno e sua tia respondem que o importante é deixar a vida tomar seu rumo e com o tempo as coisas vão se ajustar.

Andréa Tavares - G1 RN

Para postar um comentário:

“É livre a manifestação de opiniões, sendo vedado o anonimato”