Rádio Cenecista de Picuí

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Idoso usa guarda-chuva durante hemodiálise em SP e causa comoção

Gilberto Perez faz hemodiálise na Santa Casa três vezes por semana. O tratamento dura quatro horas e paciente já chegou a ficar gripado
Foto: Deise Pagani/Arquivo Pessoal 
Paciente utiliza guarda-chuva durante hemodiálise por causa de goteira
Um paciente idoso que faz hemodiálise na Santa Casa de Santos, no litoral de São Paulo, está utilizando um guarda-chuva dentro do hospital para escapar de uma goteira durante o tratamento. O registro foi feito pela mulher de um paciente que também faz o tratamento e se revoltou com a situação.


O G1 entrou em contato por e-mail com a provedoria da Santa Casa de Santos, mas até a publicação da reportagem, não obteve resposta.

De acordo com testemunhas ouvidas pelo G1, o paciente, identificado como Gilberto Perez, usa o guarda-chuva há cerca de um mês, apesar das reclamações. A situação causou comoção, inclusive entre funcionários do hospital, já que o paciente acabou ficando gripado, há algumas semanas, por conta da água que não para de pingar.

Segundo Deise Pagani, o marido dela e Gilberto fazem hemodiálise juntos três vezes por semana em sessões que duram quatro horas cada uma. "Esse problema da goteira começou faz uns dois meses. Um mês atrás, ele pediu o guarda-chuva do meu marido emprestado", relembra. Desde então, Gilberto traz um guarda-chuva para as sessões de hemodiálise para se proteger da água.

Pacientes acreditam que
ar condicionado seja o problema
(Deise Pagani/Arquivo Pessoal)
Ainda de acordo com Deise, a sala de hemodiálise é pequena e a cadeira de Gilberto não pode ser mexida do lugar. "É um canto pequeno, apertado, não tem como mudar ele de lugar. Se ele não leva o guarda-chuva, sai de lá muito molhado", relata.

A mulher suspeita que o ar condicionado da sala seja a causa da goteira. "A água que cai é gelada. Acho que um cano que desviasse a goteira já funcionaria", sugere.

Ela afirma que Gilberto fez diversas reclamações a funcionários do hospital, mas não foi atendido. "Ele não tem recursos para ligar para outra pessoa ou pedir ajuda. Por isso resolvi divulgar a foto", diz Deise. "Ninguém toma providência nenhuma. Ele já ficou resfriado por conta da água gelada. A pessoa já está debilitada, com insuficiência renal, e ainda fazem isso", finaliza.

G1 Santos

Para postar um comentário:

“É livre a manifestação de opiniões, sendo vedado o anonimato”